Posse de Lugo terá presença de Lula e outros presidentes latino-americanos

Assunção, 14 ago (EFE) - O ex-bispo paraguaio Fernando Lugo assumirá amanhã como chefe de Estado do Paraguai em um histórico ato que reunirá nove governantes, entre eles o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além do príncipe de Astúrias e quase cem delegações estrangeiras. Além de pôr fim a uma hegemonia de 61 anos do Partido Colorado nas eleições de 20 de abril, Lugo recebeu a concessão do estado laico, em uma decisão sem precedentes da Santa Sé. O ex-bispo de San Pedro, de 57 anos, jurará em um palco montado ao ar livre na esplanada do Congresso e será o sexto governante do país desde a instauração da democracia, em 1989, após a derrocada do general Alfredo Stroessner (1954-89). A faixa presidencial, tecida em fios de ouro por freiras enclausuradas da localidade equatoriana de Guaranda, onde Lugo foi missionário entre 1977 e 1982, será entregue pelo presidente do Congresso, o senador Enrique González Quintana. Mas antes, o chefe de Estado em fim de mandato, Nicanor Duarte, entregará o bastão de comando a González Quintana no plenário do Parlamento. Nas eleições de abril também foram eleitos 17 governadores do país e seus respectivos membros de junta, que, em sua maioria, assumiram hoje em suas áreas de jurisdição, com exceção do líder do departamento de San Pedro, José Ledesma. Esta autoridade adiou sua posse para este sábado em um ato popular que terá como convidados de honra o novo chefe de Estado, que durante uma década foi bispo em San Pedr...

EFE |

Ortega foi questionado por um grupo de mulheres, que recebeu o apoio da futura ministra da Mulher do Paraguai, Gloria Rubín, pelo escândalo causado pela acusação de abuso sexual feita pela enteada do presidente, Zoila América.

Outra situação similar envolveu Teodoro Obiang, da Guiné Equatorial, que foi excluído da lista após ser duramente criticado por ativistas de direitos humanos, embora as autoridades desse país tenham dito à Agência Efe, em Malabo (capital deste país), que ele "nunca teve a intenção de ir ao Paraguai".

O primeiro governante a chegar foi o taiuanês Ma Ying-jeou, na noite de terça-feira, seguido pelo herdeiro da Coroa espanhola, o príncipe Felipe de Borbón, que posteriormente irá à República Dominicana para a posse de Leonel Fernández para um segundo mandato.

Ainda é esperada para hoje a chegada de Lula e Chávez, além da dos chefes de Estado de Bolívia, Evo Morales; Equador, Rafael Correa; Honduras, Manuel Zelaya; Uruguai, Tabaré Vázquez; Chile, Michelle Bachellet, e da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner.

A cerimônia, aberta a toda a população, reunirá, além disso, os vice-presidentes do Peru, Luis Giampietri; da Guatemala, Rafael Espada; do Panamá, Rubén Arosemena; da Colômbia, Francisco Santos; de Cuba, José Ramón Machado, e do Irã, Samareh Hashemi.

Também estarão presentes o escritor uruguaio Eduardo Galeano, o poeta nicaragüense Ernesto Cardeal e o Prêmio Nobel de Economia Joseph Stiglitz.

A posse coincidirá com o dia do aniversário da fundação de Assunção, que é tradicionalmente celebrado com atos oficiais e litúrgicos, incluindo uma missa na Catedral Metropolitana, na qual participarão o novo chefe de Estado e seus convidados.

A Catedral, o Congresso e a Prefeitura estão localizadas em torno de uma série de praças na parte antiga da capital, onde também está o Palácio de Governo, por isso não é descartada a hipótese de que Lugo e parte de seus convidados façam a pé o trajeto de um ato a outro.

Em torno desses edifícios, também serão realizados vários eventos artísticos com a participação de grupos de teatro, grupos de músicos itinerantes e bandas da Argentina, Uruguai e Venezuela. EFE lb/bm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG