Posição da Igreja Católica contra preservativo não muda, diz porta-voz

Yaoundé, 18 mar (EFE).- O porta-voz vaticano, Federico Lombardi, reafirmou hoje as palavras de Bento XVI contra o uso de camisinha para evitar a aids, e assegurou que, durante a viagem à África, na qual o papa deve se encontrar com portadores da doença, a postura da Igreja Católica sobre esse assunto não mudará.

EFE |

"Não espere mudança de posição sobre este tema durante a viagem.

Bento XVI reafirmou a linha já marcada por João Paulo II", disse Lombardi em encontro com os jornalistas que acompanham o pontífice.

Lombardi ressaltou que a Igreja Católica considera que os preservativos não servem para impedir a propagação da aids e que na África a doença também se prolifera devido às precárias condições de higiene.

Na terça-feira, Bento XVI disse que a aids não pode ser combatida só com dinheiro - embora tenha reconhecido a necessidade deste - e "nem com a distribuição de preservativos, que, ao contrário, aumentam o problema".

Segundo o papa, a aids se vence com "uma humanização da sexualidade, uma renovação espiritual humana que comporta uma nova forma de conduta de uns com outros" e por meio da amizade, disponibilidade e amor pelos doentes. EFE jl/bba/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG