Portugal receberá dois ex-presos de Guantánamo

LISBOA (Reuters) - Portugal acolherá com um visto especial dois sírios que estão detidos na base naval norte-americana de Guantánamo, Cuba, anunciou nesta sexta-feira o Ministério das Relações Exteriores do país. Os nomes não foram divulgados. Segundo o ministério, os prisioneiros fazem parte de um grupo de dezenas de detentos que foram liberados das acusações de terrorismo, mas não podem voltar para seus países porque correriam o risco de perseguição políitica.

Reuters |

Em dezembro, Portugal tornou-se o primeiro país a apoiar publicamente um plano da União Européia para oferecer asilo a ex-presos de Guantánamo. Em junho, uma resolução da UE decidiu que os presos serão acolhidos em uma análise de caso a caso.

O ministério afirma em comunicado que "na decisão final do governo português foram conciliadas as diferentes vertentes desta questão: a vertente humanitária e das relações externas, a salvaguarda dos aspectos relacionados com a segurança, bem como as perspectivas de sucesso na integração dos ex-detidos escolhidos".

A nota à imprensa também defende que o fechamento de centro de detenção em Guantánamo será "uma vitória para todos aqueles que defendem e promovem o respeito dos direitos humanos no quadro da luta contra o terrorismo".

A prisão em Guantánamo, criada após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 nos EUA, se tornou rapidamente um símbolo de abusos contra presos e de detenção sem acusações formais durante a administração de George W. Bush (2001-2009).

O presidente Barack Obama prometeu fechar a prisão até o fim do ano, e os detentos deverão ser encaminhados a julgamento ou libertados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG