Portugal pede respeito à ordem constitucional em Guiné-Bissau

Lisboa, 2 mar (EFE).- O Governo de Portugal lamentou hoje profundamente a morte do presidente de Guiné-Bissau, João Bernardo Vieira, e pediu o respeito à ordem constitucional, segundo um comunicado recebido pela Agência Efe.

EFE |

"Portugal lamenta profundamente a morte do presidente 'Nino' Vieira, vítima de um atentado confirmado nas últimas horas", diz um comunicado do Ministério de Assuntos Exteriores português, que acrescenta as "sentidas condolências ao presidente da Assembleia Nacional e a todo o povo de Guiné-Bissau".

Além disso, considera "fundamental" que as autoridades políticas e militares do país "respeitem a ordem constitucional".

Segundo a "Rádio França Internacional", João Bernardo Vieira foi assassinado por soldados leais ao chefe do Estado-Maior do Exército, general Tagmé Na Wai, morto no domingo à noite em um atentado com explosivos.

Na mesma nota, o Executivo português "condena veementemente" o atentado, assim como os "atos de violência" registrados desde a madrugada de domingo, que também provocaram a morte de Na Wai.

O Governo português também anunciou que convocará uma reunião de urgente da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), um fórum multilateral com sede em Lisboa que reúne Portugal e suas ex-colônias, para debater o que ocorreu em Guiné-Bissau. EFE atc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG