Porta-voz diz que Vaticano não compara críticas ao papa com antissemitismo

Comparar as críticas ao papa pelos casos de padres pedófilos com o antissemitismo não é a linha do Vaticano, afirmou o porta-voz, Federico Lombardi, matizando as palavras do Predicador da Casa Pontifícia durante a celebração da Paixão do Senhor na Sexta-Feira Santa.

EFE |

Lombardi, em uma declaração publicada neste sábado pela Rádio Vaticano, afirmou que "assemelhar os ataques a Bento 16 pelos escândalos de abusos sexuais de sacerdotes a crianças com o antissemitismo não é a linha mantida pela Santa Sé".


O jesuíta Lombardi acrescentou que o Predicador da Casa Pontifícia, o franciscano Raniero Cantalamessa, só quis tornar pública a solidariedade ao Pontífice expressada por um judeu, tendo em conta "a experiência de dor sofrida por eles".

"Foi uma citação que pode dar pé a más interpretações", reconheceu Lombardi.

As declarações geraram críticas e protestos de grupo judeus neste sábado. Lideranças católicas, porém, declararam enxergar perseguição ao papa Bento 16 na exploração do caso. 

    Leia tudo sobre: vaticano

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG