Porta-voz de Hillary renuncia após declarações sobre o Pentágono

Philip Crowley afirmou que o tratamento dado a Bradley Manning, suspeito de ter divulgado dados confidenciais, é ¿ridículo"

iG São Paulo |

O porta-voz do Departamento de Estado americano, Philip Crowley, renunciou neste domingo após as polêmicas declarações em que criticou o Pentágono pelas condições de detenção do soldado Bradley Manning, suspeito de ter divulgado milhares de documentos confidenciais dos EUA ao site WikiLeaks.

"Dado o impacto que tiveram minhas declarações, pelas quais assumo plenamente minha responsabilidade, apresentei minha renúncia", disse em comunicado Crowley, quem qualificou esta semana o tratamento que o Departamento de Defesa dá a Manning como "ridículo" e "estúpido".

Bradley Manning está preso desde julho de 2010 em uma prisão militar da Virgínia, no leste do país.  Entre os delitos pelos quais Bradley é acusado esta o de "concluio com o inimigo" , anunciou o Pentágono no início do mês.

Esse crime é passível da pena de morte, mas os promotores decidiram não recorrer a ela, precisou John Haberland, porta-voz da juridição militar da região de Washington, em comunicado. O soldado de 23 anos, no entanto, pode ser condenado à prisão perpétua.

Além de supostamente ter ajudado o inimigo, oficiais disseram que Mannig é acusado de usar sem autorização um software de computadores do governo para extrair informações sigilosas, downloads ilegais e trasmissão de informações para divulgação.

Manning teria fornecido ao WikiLeaks, que em seguida os tornou públicos, documentos militares americanos sobre as guerras no Iraque e no Afeganistão e milhares de telegramas diplomáticos do Departamento de Estado.

*Com informações da EFE

    Leia tudo sobre: Philip CrowleyWikiLeaksHillaryBradley Manning

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG