Por Philip Pullella

SAN GIOVANNI ROTONDO, Itália (Reuters) - Milhares de peregrinos se aglomeraram na quinta-feira para ver o corpo do padre Pio, um dos santos mais populares de Igreja, que foi exumado e está sendo exibido 40 anos após sua morte. O padre tem fama de milagreiro e durante a vida teria exibido estigmas, ou seja, as feridas que Jesus sofreu nas mãos e pés ao ser crucificado.

Reuters |

A pequena San Giovanni Rotondo, no sul da Itália, vive exclusivamente do culto ao padre Pio, o que é ainda mais verdade agora que o corpo dele está exposto num sepulcro de vidro na cripta do convento onde ele passou a maior parte da vida. O rosto do santo está coberto por uma máscara de silicone, aparentemente para esconder o avançado estado de decomposição.

Cerca de 15 mil devotos assistiram à missa celebrada pelo cardeal português José Saraiva Martins, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, antes que o corpo de são Pio fosse exposto.

'Ele sabe o que eu quero dele', disse Antonio Zimbaldi, 19 anos, que assistiu à missa com o rosto inteiro coberto por uma gaze branca, exceto os lábios. 'Sou devoto dele desde que me conheço por gente', disse o rapaz, que teve o corpo inteiro queimado numa explosão de gás há dois anos.

O corpo do barbudo monge capuchinho foi exumado de uma cripta em 3 de março. Averiguou-se que estava em 'boas condições', após 40 anos de sepultamento, e desde então legistas e bioquímicos trabalham para preservar e reconstruir o cadáver.

Ele vestia o tradicional hábito marrom dos capuchinhos e usava luvas sem dedos, que serviam para absorver o sangue dos estigmas nas mãos. A máscara veio de uma empresa londrina que costuma confeccionar reproduções de figuras humanas para museus.

Pesquisa feita em 2006 pela revista católica Famiglia Cristiana mostrou que os católicos italianos rezam mais para o padre Pio do que para qualquer outra figura, aí incluída a Virgem Maria e o próprio Jesus Cristo.

Assunta Antico, 80 anos, foi à missa numa cadeira de rodas e usando um xale do mesmo tom de marrom do hábito capuchinho.

'Tive um derrame há dois anos. Estou paralisada e quero andar de novo', afirmou.

Existe nesta cidade um grande hospital fundado pelo monge, e muitos hotéis e restaurantes que atendem romeiros.

Cerca de 750 mil pessoas já fizeram reservas para ver o corpo do santo até dezembro. O túmulo vem recebendo cerca de 7.200 visitantes por dia.

Há cerca de 3.000 'grupos de oração do padre Pio' em todo o mundo, congregando cerca de 3 milhões de fiéis. O papa João Paulo 2o o canonizou em 2002, diante de uma das maiores multidões que o Vaticano já viu.

Entre as histórias que cercam o monge, morto em setembro de 1968, aos 81 anos, está a de que ele teria lutado contra o demônio certa noite em sua cela, aparecendo depois todo ensangüentado e arranhado.

Alguns devotos também lhe atribuem capacidades adivinhatórias, dizem que ele chegou a ser visto em dois lugares ao mesmo tempo e que era capaz de relatar os pecados de uma pessoa sem ter ouvido a confissão.

Mas, antes e depois da morte, houve acusações de fraude contra o padre Pio. Um livro do ano passado sugere que ele se autolesionava e pode ter usado ácido carbólico para provocar os ferimentos. Autoridades eclesiásticas negam as fraudes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG