Por nuvem de cinzas, TAM e GOL cancelam voos com três países

Companhias suspendem operações em Buenos Aires, Montevidéu e Assunção; aeroportos de capital argentina cancelam mais de 300 voos

iG São Paulo |

A companhia aérea TAM cancelou nesta quinta-feira suas operações nos aeroportos de Buenos Aires (Argentina), Montevidéu (Uruguai) e Assunção (Paraguai) por causa da nuvem de cinzas expelida por um vulcão que entrou em erupção no Chile no sábado. No total, 16 voos foram cancelados. A companhia informa que continuará analisando as condições climáticas para voltar a operar o mais rapidamente possível, mas a suspensão vale para os aeroportos de Buenos Aires e Montevidéu até pelo menos as 12 horas de sexta-feira.

Por sua vez, a GOL informa que interrompeu suas operações em Buenos Aires e Montevidéu. "A decisão tornou-se necessária devido ao novo avanço das cinzas do vulcão chileno Puyehue sobre o espaço aéreo desses países", afirmou a companhia em nota.

Além disso, a GOL e a TAM anunciaram que suspenderão temporariamente as operações nos aeroporto de Porto Alegre , no Rio Grande do Sul. A TAM vai interromper as operações das 21h desta quinta-feira até as 10h da sexta-feira, enquanto a GOL suspenderá as operações em Porto Alegre e também em Caxias do Sul a partir das 18h30 e 19h desta quinta-feira, respectivamente.

No aeroporto de Cumbica, Guarulhos, 16 voos foram afetados, segundo o site da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). As companhias TAM, GOL, Aerolíneas Argentinas, Pluna e LAN cancelaram cinco chegadas de Buenos Aires e uma de Montevidéu e três partidas para Buenos Aires, quatro para Montevidéu e uma para Punta del Este. Além disso, há dois atrasos de voos para Buenos Aires.

No aeroporto do Galeão, Rio, 19 voos foram afetados, também segundo a Infraero. As companhias TAM, GOL, Aerolíneas Argentinas, Pluna e LAN cancelaram seis chegadas de Buenos Aires, três de Montevidéu e duas de Santiago do Chile e suspenderam cinco partidas para Buenos Aires, duas para Montevidéu e duas para Santiago do Chile.

Em seu comunicado, a GOL afirma estar contatando clientes com passagens marcadas para providenciar reacomodações sem cobrança de taxas ou o reembolso no valor integral dos bilhetes. A Central de Relacionamento está disponível nos números 0300-115-2121 (Brasil), 0810-266-3232 (Argentina) e 5098-2403-8007 (Uruguai).

A GOL também orienta clientes de outras cidades que viajariam nesta quinta-feira a Argentina e Uruguai a permanecer em seus destinos de origem e contatar a companhia via telefone ou por meio das equipes nos aeroportos.

As nuvens do vulcão chileno Puyehue voltaram nesta quinta-feira à região metropolitana da capital Argentina, Buenos Aires, afetando o funcionamento dos aeroportos. Como medida de prevenção de acidentes aéreos, todos os voos voltaram a ser cancelados , em um total de mais de 300. Segundo o serviço meteorológico, uma mudança na direção dos ventos talvez permita a retomada das operações na sexta-feira.

As estatais Aerolíneas Argentinas e sua subsidiária Austral, que na quarta-feira haviam decidido manter os cancelamentos restritos ao sul do país, paralisaram os demais voos, da mesma forma que a chilena Lan e outras companhias que operam em Buenos Aires.

Suspensão do tráfego no Uruguai

As cinzas voltaram a provocar nesta quinta-feira a suspensão do tráfego aéreo no Uruguai e afetaram diretamente o presidente do país, José Mujica, que cancelou uma viagem surpresa a Buenos Aires.

"Estamos em condições similares às da terça-feira", quando foram cancelados 90% dos voos no Aeroporto Internacional de Carrasco, em Montevidéu, "mas agora todos os voos estão cancelados", disse Jorge Bentos, chefe de operações terrestres da Puerta del Sur, a empresa concessionária do terminal.

Bentos esclareceu que, "de acordo com a previsão meteorológica" para esta quinta-feira, "é altamente provável que nenhum voo decole nem sequer os com destino à Europa ou aos Estados Unidos". O último movimento registrado foi às 6h do horário local (mesmo de Brasília), quando um avião da TAM partiu rumo a São Paulo.

O agravamento da situação se deve ao fato de que "a nuvem está em território uruguaio, sobretudo na parte central do país, em Durazno, em direção ao sul, a Montevidéu e Colonia", a localidade mais próxima a Buenos Aires.

A Direção Nacional de Meteorologia emitiu para esta quinta-feira uma advertência de nível laranja (perigoso) para todo o país a partir das 10h até às 6h da sexta-feira, e previu uma "redução significativa da visibilidade", que será "inferior a 1 mil metros".

*Com Agência Estado e EFE

    Leia tudo sobre: chilevulcãoargentinabuenos airesvulcão Puyehue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG