Paris, 24 ago (EFE).- A popularidade do presidente francês, Nicolas Sarkozy, voltou a ganhar força no mês de agosto, após chegar a seus índices mais baixos em maio último, um ano após sua eleição como chefe de Estado, diz pesquisa publicada hoje pelo jornal Le Journal du Dimanche.

Segundo a enquete, 40% dos franceses dizem estar satisfeitos ou muito satisfeitos com a gestão do presidente. O número está 2 pontos percentuais acima do registrado no mês anterior, embora siga havendo uma imensa maioria de franceses (59%) que afirmam estar descontentes ou muito descontentes com Sarkozy.

Ainda de acordo com a pesquisa elaborada pelo instituto Ifop para o "Journal du Dimanche", quando o presidente chegou ao poder em maio de 2007, gozava da aprovação de 65% de seus concidadãos, porcentagem que chegou a aumentar para 69% em agosto do mesmo ano.

A partir de então, Sarkozy começou a cair lentamente em termos de popularidade, e chegou ao fundo do poço em maio de 2008, no aniversário de sua chegada ao Palácio do Eliseu.

A queda da popularidade de Sarkozy coincidiu com a perda de poder aquisitivo dos franceses, seu divórcio e sua apressada relação com a cantora e ex-modelo Carla Bruni, que terminou em casamento.

No mês de agosto, onde parece que a tendência começa a mudar, o presidente assumiu a liderança rotativa da União Européia (UE) e redigiu um acordo de cessar-fogo que conseguiu ser aceito tanto por Rússia como pela Geórgia.

Sua mediação na guerra pesou mais que sua decisão de assistir à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim.

Sarkozy foi muito criticado entre partidos de esquerda e por defensores dos direitos humanos, sobretudo por não ter recebido o dalai lama na visita do líder tibetano à França. EFE jaf/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.