Popularidade de Rafael Correa aumentou com conflito, mas já voltou a cair

Quito, 2 abr (EFE).- A popularidade do presidente equatoriano, Rafael Correa, voltou a cair após a grande melhora registrada no início de março, após a crise diplomática com a Colômbia, informou hoje a empresa de pesquisas Cedatos.

EFE |

A popularidade de Correa, que em 29 de fevereiro estava em 54%, chegou, em 9 de março a 66%, e caiu no último dia 31 a 62%, segundo a última pesquisa da Cedatos.

A enquete, realizada entre 27 e 31 de março, com uma amostra de 1.327 pessoas maiores de idade e que, segundo a empresa, tem uma margem de erro de 3,7%, também indica que 80% da população equatoriana apoiaram a postura de Correa frente à Colômbia.

O Equador rompeu relações diplomáticas com a Colômbia depois que, em 1° de março, tropas colombianas bombardearam um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em território colombiano.

A operação militar provocou a morte do porta-voz internacional das Farc, "Raúl Reyes", e de outras pessoas.

Quito e Bogotá ainda mantêm rompidas suas relações diplomáticas e um cruzamento de declarações não mostram um caminho para a solução de suas diferenças.

Segundo a Cedatos, a situação fronteiriça teve impacto histórico na opinião da população e lembra que em um fato registrado em 1980, durante um combate militar com o Peru, a aprovação do então presidente Jaime Roldós subiu de 46% a 58%, para depois registrar uma queda. EFE fa/mac/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG