População do Haiti tem procurado base brasileira para socorro e auxílio de feridos

O Exército informou nesta quarta-feira que a população do Haiti tem procurado a base brasileira para socorro e auxílio a feridos depois que a capital Porto Príncipe foi atingida por um terremoto de 7ºC na escala Richter. O batalhão brasileiro integra o contingente da missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no país.

iG São Paulo |

  • Veja fotos da destruição após terremoto no Haiti
  • Haiti vive cenas de destruição e desespero; assista
  • Terremoto no Haiti mata ao menos 4 militares brasileiros
  • Tem informações sobre as vítimas? Envie para o Minha Notícia

    O general de brigada Carlos Alberto Barcellos, chefe do centro de comunicação do Exército, relatou extrema confiança do povo haitiano na tropa brasileira. Há ainda o fato de que a base não foi atingida pelos tremores. A maior parte do efetivo brasileiro estava no local no momento do terremoto, mas quatro homens que estavam em sub-bases morreram.

    Barcellos se referiu a um elevado número de desaparecidos, mas destacou que o comprometimento dos sistemas de telefonia fixa e móvel, além da falta de energia elétrica, dificultam a chegada de informações detalhadas e precisas.

    Os deslocamentos motorizados em Porto Príncipe, segundo ele, praticamente não ocorrem em razão do acúmulo de escombros nas ruas. Todo o trabalho de auxílio e resgate de vítimas está sendo feito a pé.

    Terremoto devastador

    O forte terremoto de 7 graus na escala Richter que atingiu o Haiti na tarde da última terça-feira foi o tremor mais forte a afetar o país nos últimos 200 anos. Em um espaço de um minuto, o terremoto destruiu diversos edifícios e interrompeu os serviços de energia e telefonia do país. Estima-se que centenas de pessoas tenham morrido, mas dados oficiais ainda não foram divulgados.


    Palácio presidencial não resistiu ao terremoto e desabou / EFE

    O terremoto provocou o desabamento do palácio presidencial, de favelas da capital, Porto Príncipe, e centenas de edificações na região. Um prédio de cinco andares usado pela Organização das Nações Unidas (ONU) também desabou na terça-feira por conta do tremor.

    O embaixador do Haiti nos Estados Unidos, Raymond Joseph, disse que as sedes do palácio presidencial, da Receita Federal, do Ministério do Comércio e do Ministério das Relações Exteriores sofreram danos provocados pelo tremor, mas que o aeroporto da capital estava intacto. Segundo ele, o presidente René Preval escapou ileso do terremoto.

    As informações sobre vítimas e danos são divulgadas de forma desorganizada por conta de problemas de comunicação no país. Como país mais pobre das Américas , o Haiti não tem equipamentos suficientes para lidar com esse tipo de desastre.


    Sobrevivente é resgatada de escombros em Porto Príncipe / AFP

    Epicentro

    O epicentro do tremor foi registrado a 16 km de Porto Príncipe, que tem uma população de cerca de 1 milhão de pessoas, e tremores que vieram depois, tão fortes quanto o inicial, atingiram a cidade ao longo da noite e já na quarta-feira.

    Segundo o US Geological Survey, a agência geológica americana, o terremoto ocorreu por volta das 16h53 (horário local, 19h53 de Brasília) de terça-feira.

    Pelo menos dois tremores secundários - de 5,9 e 5,5 graus, respectivamente, foram registrados logo após o primeiro terremoto. Cerca de cinco horas após o tremor inicial, uma testemunha disse que esses tremores secundários eram sentidos a cada dez minutos. 

    Com Agência Brasil

    Leia também:

  • Sobreviventes relatam situação de caos e angústia no Haiti
  • Terremoto evidencia redes sociais na busca de informação
  • Saiba mais sobre o Haiti, o país mais pobre do Ocidente
  • Comunidade internacional oferece ajuda ao Haiti após terremoto
  • Itamaraty divulga telefones para informações sobre o Haiti
  • Os mais graves terremotos dos últimos anos

    Leia mais sobre terremoto

    • Leia tudo sobre: haiti

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG