Polônia justifica ausência em conferência da ONU por possíveis provocações

Varsóvia, 20 abr (EFE).- O Ministério de Assuntos Exteriores polonês justificou hoje, em comunicado, a ausência da Polônia na conferência da ONU sobre o racismo, realizado em Genebra, em que esta reunião pode se transformar em um cenário para proclamar postulados antissemitas.

EFE |

"Temos razões para temer que a conferência possa ser usada de novo como uma plataforma para divulgar opiniões contrárias ao espírito de respeito em relação a todas as nações e religiões", afirma o texto divulgado hoje pela diplomacia polonesa.

A Polônia destaca seu compromisso contra o racismo e a xenofobia e afirma que participou "ativamente" nos preparativos deste evento até o último momento, quando a ameaça de que ocorram declarações antissemitas motivaram a retirada de sua delegação.

A conferência sobre o racismo tem por objetivo colocar em dia o estipulado há oito anos na primeira reunião destas características, que aconteceu na cidade sul-africana de Durban.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, mostrou-se "profundamente decepcionado" com a ausência de certos países, durante a abertura hoje da conferência, entre eles Israel, Estados Unidos, Austrália, Canadá, Itália, Holanda, Polônia, Nova Zelândia e Alemanha. EFE nt/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG