Políticos bósnios demonstram alegria e alívio com detenção de Karadzic

Sarajevo, 22 jul (EFE).- A detenção do suposto criminoso de guerra servo-bósnio Radovan Karadzic, anunciada na noite de segunda-feira pelo Governo sérvio, causou alegria e alívio entre os líderes políticos da Bósnia.

EFE |

O presidente rotativo da Bósnia, o muçulmano Haris Silajdzic, disse hoje em Sarajevo que "a Justiça talvez seja lenta, mas ficou provado que ela sempre chega".

"Isto é uma notícia muito boa, mas não devemos nos esquecer que Ratko Mladic (o chefe militar dos servo-bósnios) continua livre e também queremos vê-lo detido", assinalou.

"A detenção de Karadzic vai trazer paz, justiça e estabilidade para a Bósnia, e até mesmo para toda a região. Espero que isto sirva como catarse para a Sérvia", disse Silajdzic.

O presidente rotativo da Bósnia disse ainda que está satisfeito em ver que o Governo sérvio e o presidente Boris Tadic finalmente tiveram o poder e a força para deter Karadzic.

O membro croata da Presidência bósnia, Zeljko Komsic, assinalou que a detenção "é uma notícia muito boa para Bósnia".

Acrescentou que a detenção de Karadzic trará "um pouco de paz e justiça às vítimas da guerra na Bósnia".

"Cada dia que os criminosos de guerra passam em liberdade é um dia perdido para a Justiça e para as vítimas dos crimes de guerra", disse o político croata.

O primeiro-ministro da entidade sérvia da Bósnia, Milorad Dodik, disse hoje que seu Governo sempre exigiu que os criminosos de guerra fossem presos.

"Com Radovan Karadzic detido, nos livramos agora de uma grande pressão sobre a República Sérvia (da Bósnia). Mas temos de saber que isto significa que a República Sérvia não é responsável pelos crimes de guerra. Karadzic deverá se defender pessoalmente agora", assinalou. EFE nh/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG