Político refém das FARC é libertado na Colômbia

O Exército colombiano resgatou neste domingo Óscar Tulio Lizcano, ex-congressista seqüestrado oito anos atrás pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Durante a operação militar, nove guerrilheiros teriam sido mortos e outros seis capturados, de acordo com a imprensa local.

BBC Brasil |

Lizcano, que foi encontrado na selva do departamento (Estado) de Chocó, noroeste do país, estaria doente e foi levado a um hospital no departamento de Cali, de acordo com o Ministério da Defesa.


Óscar Tulio Lizcano (centro), ex-refém das Farc resgatado / AP

O ex-congressista, de 62 anos, era o político que mais tempo havia permanecido seqüestrado pela guerrilha. Lizcano fazia parte do grupo de reféns considerados pelas Farc passíveis de troca por guerrilheiros presos em um eventual acordo com o governo colombiano.

Deste grupo, 28 pessoas ainda estão em cativeiro. As negociações entre governo e as Farc estão paralisadas.

O resgate do ex-congressista ocorre três meses depois da libertação da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt e de mais 14 reféns, durante uma operação militar que o governo qualificou de "cinematográfica" e a guerrilha de "traição" por parte dos rebeldes responsáveis pela segurança do cativeiro.

Ao receber a notícia, Ingrid Betancourt disse que se sentia "libertada outra vez", em entrevista ao canal de TV Caracol.

"Estou tão emocionada, é um momento muito forte. Estou dando graças a Deus por este milagre (...) Obrigada ao Exército uma vez mais, é outra coisa extraordinária", afirmou Betancourt, que voltou a pedir às Farc que libertem todos os seqüestrados em seu poder.

Resgate

Segundo as autoridades colombianas, a operação de resgate começou a ser planejada há três meses, depois que um guerrilheiro desmobilizado informou ao Exército a localização do cativeiro do ex-congressista.

Na última prova de vida revelada em novembro de 2007, Lizcano pediu à Uribe que "não insista tentando conosco (os reféns) uma vitória militar. Busque uma solução humana o mais rápido possível".

Os familiares de Lizcano eram contrários à realização de um resgate militar, devido ao risco de morte do seqüestrado implicado neste tipo de operação.

O ex-senador Luis Eladio Pérez, libertado pelas Farc em fevereiro, recomendou que Lizcano passe por atendimento psicológico.

"Não se imagina o choque que representa estar seqüestrado de uma maneira infame e, do dia para a noite, encontrar-se em liberdade. A assistência psicológica é prioritária", afirmou Perez a um canal de televisão local.

Político do partido Conservador, Oscar Tulio Lizcano foi seqüestrado pela guerrilha em 5 de agosto de 2000.

Leia mais sobre Farc

    Leia tudo sobre: farc político refem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG