Político egípcio é condenado por ir a Gaza através de túnel

Cairo, 11 fev (EFE).- O secretário-geral do Partido Trabalhista egípcio, Magdi Ahmad Hussein, foi condenado hoje a dois anos de prisão por atravessar ilegalmente para a Faixa de Gaza através de um túnel que liga o território palestino ao Egito, informaram fontes judiciais.

EFE |

A sentença, emitida por um tribunal militar, acusa Hussein de sair do país ilegalmente, já que o político entrou em Gaza apesar de as autoridades egípcias terem negado antes a permissão de atravessar pela passagem fronteiriça de Rafah.

Após ser proibido de entrar por este posto, o político - cujo partido foi ilegalizado - atravessou para Gaza através de um dos túneis escavados na fronteira entre o Egito e o território palestino, que são utilizados para o contrabando de mercadorias.

Hussein, um político de tendência islâmica, foi levado à prisão depois que ele mesmo se entregou às autoridades fronteiriças egípcias, ao voltar de Gaza.

Desde a ilegalização, o Governo egípcio se negou a acatar várias sentenças judiciais favoráveis à legalização do partido.

Hussein acusou em vários artigos à imprensa o regime egípcio de colaborar no bloqueio a Gaza, assim como na recente ofensiva militar israelense contra o território palestino.

O veredicto do tribunal militar é inapelável, por isso, Hussein só poderia evitar a prisão com um perdão presidencial. EFE nq/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG