Um candidato a deputado do Likud, principal partido da oposição de direita de Israel, Mosheh Feiglin, fez em 1995 uma apologia da Alemanha nazista e elogiou Adolf Hitler, informa a imprensa israelense.

Feiglin, que pode ser eleito nas legislativas de 10 de fevereiro, declarou em uma entrevista publicada pelo jornal Haaretz em 8 de dezembro de 1995 que "o nazismo permitiu à Alemanha sair de uma situação de miséria e a levou a uma situação fantástica, do ponto de vista físico e ideológico".

"Uma juventude esfarrapada e suja se tornou uma parte disciplinada da sociedade e a Alemanha teve um regime exemplar, uma justiça de verdade e ordem pública", acrescentou.

Na entrevista, Feiglin qualificou Hitler de "gênio militar incomparável".

"Hitler apreciava a boa música. Era um pintor e os nazistas não eram um bando de vadios. Somente usavam vadios e homossexuais", prosseguiu o político israelense.

Feiglin tentou suavizar em 2005 as declarações em uma entrevista ao jornal Maariv, ao alegar que dizer que Hitler era "um gênio militar não significa que o admire".

Feiglin, que coordenava o grupo de ultradireita "Liderança Judaica", entrou há alguns anos no Likud.

O líder do partido, Benjamin Netanyahu, tentou em vão obstruir a carreira política dele. Feiglin ganhou espaço no Likud e ajudou muitos membros da ala "dura", contrários a concessões aos palestinos e à Síria, a ter boas posições nas listas para as eleições.

mb-jlr/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.