Polisário se mostra disposta a cooperar com novo enviado especial da ONU

Argel , 14 jan (EFE).- A Frente Polisário se mostrou hoje disposta a cooperar plenamente com o novo enviado especial da ONU para o Saara Ocidental, o americano Christopher Ross, para retomar as negociações com o Marrocos e conseguir uma paz justa e duradoura.

EFE |

Em comunicado de seu Secretariado Nacional, o Polisário adverte que o cessar-fogo, em vigor desde 1991, é "indissociável" da celebração de um plebiscito de autodeterminação "aceito pelas duas partes e aprovado pelo Conselho de Segurança".

A nota denuncia o que considera "os perigos das tentativas do Marrocos para fazer fracassar os esforços da ONU no momento em que Ross se dispõe a assumir suas funções".

"O Governo marroquino assumirá plenamente a responsabilidade não somente de abortar os esforços da comunidade internacional pela paz, mas das conseqüências que possam surgir de sua política de expansão e suas repercussões sobre a segurança e a estabilidade na região", afirma.

Por outro lado, o principal órgão de liderança do movimento independentista condena o que qualifica de "pilhagem" dos recursos naturais saaráuis pelo Governo marroquino "apoiado por parceiros estrangeiros".

O comunicado afirma que esta "pilhagem" gera bilhões de dólares anuais "que contribuem para o financiamento da ocupação ilegal" do território da antiga colônia espanhola.

Além disso, afirma que o povo saaráui "é o único proprietário legítimo de seus recursos naturais" e insta todos os Governos e as empresas envolvidas a "deixarem imediatamente de contribuir para este projeto colonial".

Neste sentido, o Polisário apela à União Européia (UE) para reconsiderar o acordo de pesca marítima assinado com o Marrocos e para adotar as medidas necessárias para que o Saara Ocidental "seja excluído de todo acordo" com este país norte-africano "por respeito ao direito internacional". EFE sk/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG