Policial é suspenso por morte durante cúpula do G20

Um policial britânico que foi filmado empurrando um transeunte que depois morreu, durante os protestos da semana passada em Londres contra a cúpula do G20, foi suspenso enquanto a investigação é realizada, disse a polícia londrina na quinta-feira.

Reuters |

O jornaleiro Iam Tomlison, 47 anos, morreu de infarto logo depois de ser empurrado por um policial, em meio aos distúrbios ocorridos perto da sede do Banco da Inglaterra (Banco Central). Tomlinson, que ia do trabalho para casa, não participava dos protestos.

Em nota, a Polícia Metropolitana de Londres disse que um agente do seu Grupo de Apoio Territorial, espécie de tropa de choque, foi afastado das suas funções.

Ele é um dos quatro policiais que se apresentaram à Comissão de Queixas Contra a Polícia (IPCC, espécie de corregedoria), que investiga o caso.

A polícia londrina negou na quinta-feira que tenha havido a intenção deliberada de oferecer informações enganosas a respeito do incidente.

Num primeiro momento, a polícia disse que os agentes ajudaram Tomlinson quando o encontraram caído numa rua próxima, com dificuldade para respirar, e que os policiais teriam sido atacados com foguetes ao levarem o homem para detrás do cordão de isolamento.

Mas um vídeo amador divulgado pelo jornal Guardian (http://www.guardian.co.uk/) mostrou que, minutos antes de desmaiar numa rua próxima, Tomlinson havia sido empurrado por um agente, quando passava em frente a uma fila de policiais.

Outro vídeo, mostrado pelo canal 4 da TV local, também parece mostrar um policial batendo no homem com um cassetete, pouco antes de ele ser empurrado.

"Agora está claro que o sr. Tomlinson de fato entrou em contato com a polícia antes da sua morte, e que vários agentes registrados na gravação do site de um jornal nacional se identificaram como sendo os agentes do Grupo de Apoio Territorial", disse a polícia londrina.

"Para esclarecer, não houve negativa da Polícia Metropolitana de que este tenha sido o caso, nem qualquer tentativa deliberada de enganar", acrescentou o texto.

"Esta é uma informação que só poderia ter sido conhecida conforme a investigação progredisse, já que não se sabia no momento de fornecer socorro médico ao sr. Tomlinson."

A secretária do Interior, Jacqui Smith, disse depois do incidente que policiais podem ser criminalmente indiciados.

Por Michael Holden LONDRES

    Leia tudo sobre: g20

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG