Policiais e civis mortos em onda de ataque no Iraque

Ao todo seriam oito mortes incluindo um deficiente e uma menina de três anos

AFP |

Sete iraquianos morreram neste sábado em episódios de violência na província de Kirkuk, 240 km ao norte de Bagdá, dois dias após uma série de atentados contra a polícia, segundo fontes policiais. Uma oitava pessoa foi morta por homens armados em um carro na cidade de Mossul, 350 km ao norte de Bagdá.

Na cidade de Kirkuk, homens armados mataram dois irmãos curdos de 23 e 21 anos, , dentro de sua casa, segundo o tenente da polícia Laith Mahmud. "A polícia encontrou seus corpos cobertos de sangue dentro da casa".

Salim Abdelwahab era policial e seu irmão trabalhava em uma oficina de carros. No leste da cidade, insurgentes mataram um deficiente físico que era responsável pela utilização de um gerador de energia do bairro, segundo Mahmud. O Iraque sofre com um desabastecimento de energia crônico e os bairros são obrigados a ter seus próprios geradores.

No sul da cidade, um operário e sua filha de três anos foram mortos por homens armados quando deixavam a fábrica onde o pai trabalhava, declarou uma autoridade de segurança. Na cidade de Al-Rachad, no sul da província de Kirkuk, uma bomba visando a uma patrulha do exército matou dois soldados e feriu outros dois, segundo um outro funcionário da polícia, Sarhad Qader.E em Al-Riyadh (leste), uma bomba explodiu próximo a uma patrulha da polícia, ferindo dois civis, segundo a mesma fonte.

Os ataques ocorrem no momento em que o Exército americano, que participa de uma força tripartite para conter as tensões entre árabes e curdos nesta província rica em petróleo, começam a se retirar de alguns setores para deixarem definitivamente a região no final do ano, de acordo com as previsões.

    Leia tudo sobre: IraquebagdáKirkukmortosirmãosmenina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG