Harare, 15 fev (EFE).- A Polícia do Zimbábue modificou hoje as acusações contra o dirigente do opositor Movimento para a Mudança Democrática (MDC), Roy Bennet, que foi acusado no sábado de traição.

O político foi detido na sexta-feira em Harare horas antes da cerimônia de posse dos novos integrantes do gabinete do Governo de união formado pelo presidente Robert Mugabe e pelo líder da oposição, Morgan Tsvangirai.

Bennet, agora, é acusado de tentativa de sabotagem, informou à Agência Efe seu advogado, Trust Maanda.

"A Polícia retirou as acusações de traição e, agora, ele é acusado de tentar cometer atos de sabotagem", declarou Maanda.

Segundo o advogado, as forças de segurança pretendem acusar Bennett de conspirar com outros proprietários rurais brancos para dinamitar uma retransmissora de telecomunicações em 2006.

Bennett, um dos políticos mais populares do MDC, sofreu os efeitos da caótica reforma agrária imposta por Mugabe aos proprietários rurais brancos em 2000, já que os terrenos que possuía no sudeste do Zimbábue foram desapropriados pelo Governo.

A Polícia o deteve na última sexta-feira no aeroporto de Harare quando pretendia ir à África do Sul para visitar sua família.

Depois, o político foi levado a Mutar, no leste do país, onde seguidores do partido opositor se concentraram em frente à delegacia na qual se encontrava detido. EFE rt/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.