O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, foi interrogado novamente nesta sexta-feira pela polícia sobre seu suposto envolvimento em um caso de corrupção.

O interrogatório de Olmert, o sétimo, teve início pela manhã na residência oficial do premier em Jerusalém Ocidental, segundo o porta-voz da polícia, Micky Rosenfeld.

Agentes da brigada de fraudes pretendiam interrogar Olmert sobre os seis casos de suspeita de corrupção abertos contra o premier.

Olmert é acusado de ter recebido importantes quantias de dinheiro de um empresário americano, Morris Talansky, quando era prefeito de Jerusalém, entre 1993 e 2003, e depois quando foi ministro da Indústria e Comércio, até janeiro de 2006.

Os advogados de Talansky, testemunha chave do caso, pediram ao tribunal de Jerusalém um adiamento da audiência de seu cliente, prevista para 31 de agosto.

Em conseqüência dos vários casos de suspeita de corrupção contra ele, Olmert anunciou em 30 de julho a intenção de renunciar em setembro, quando seu partido, Kadima, escolher um novo líder.

cad/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.