Polícia usa gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes na Tailândia

Bangcoc, 10 abr (EFE).- As forças de segurança da Tailândia utilizaram neste sábado - pela segunda vez em 24 horas - gás lacrimogêneo e canhões de água contra um grupo de camisas vermelhas que tinha cercado um quartel do Exército no centro de Bangcoc.

EFE |

Equipes antidistúrbios começaram a se concentrar no centro da cidade para conter possíveis focos de violência.

"Cerca de 200 ativistas rodearam o quartel e alguns se lançaram contra a cerca de entrada. Os soldados os dispersaram com gás lacrimogêneo", explicou o porta-voz militar Sunsern Kaewkumnerd.

Os "camisas vermelhas" estão usando caminhões e outros veículos para bloquear um cruzamento e impedir as forças de segurança de chegarem ao bairro comercial de Bangcoc, onde os manifestantes estabeleceram seu centro de operações.

Enquanto isso, ao norte da cidade, outro grupo de ativistas está se aproximando novamente do edifício da emissora de televisão Thaicom. O prédio foi ocupado na sexta para obrigar o Governo a restabelecer as emissões da "P-TV", um canal de televisão que respalda a oposição.

No primeiro incidente de violência desde que os protestos começaram, há quase um mês, policiais e soldados fracassaram em sua tentativa de dissolver os grupos de manifestantes com canhões de água e gás lacrimogêneo, mas à noite recuperaram o controle do recinto.

Os seguidores do ex-primeiro-ministro deposto Thaksin Shinawatra tinham desafiado antes o Executivo a tentar contê-los à força, um dia depois do primeiro choque violento contra policiais e soldados.

Os manifestantes afirmam que os protestos vão continuar até que se dissolva o Parlamento e sejam convocadas eleições antecipadas.

Desde na quarta-feira rege em Bangcoc o estado de exceção, que permite aos militares tomar o controle da segurança, proibir passeatas de protestos, declarar toque de recolher e censurar a imprensa. EFE grc/fm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG