Polícia sueca inocenta marido e diz que alce matou mulher

Um homem que foi preso na Suécia sob suspeita de ter matado a própria esposa foi inocentado depois que a polícia decidiu que ela provavelmente foi morta por um alce. Ingemar Westlund, de 68 anos, encontrou o corpo de sua esposa Agneta, de 63 anos, em uma lago próximo à vila de Lofthammer, em setembro do ano passado.

BBC Brasil |

Ele foi preso no mesmo dia e mantido sob custódia por dez dias. Por várias semanas, ele foi considerado o principal suspeito do crime.

Mas o caso contra Westlund foi abandonado depois que análises forenses detectaram pelos e saliva de um alce nas roupas da mulher.

"Minha família e eu fomos arrastados para este pesadelo", disse ele ao jornal sueco Expressen.

A última vez que Agneta havia sido vista foi levando o cachorro da família para passear na floresta. Westlund disse que ela sumiu e que foi procurá-la.

As acusações contra o sueco foram abandonadas há cinco meses, mas o caso só foi revelado publicamente nesta semana. A polícia de Lofthammer pretende dar uma entrevista coletiva à imprensa nos próximos dias para esclarecer o caso.

Os alces mais comuns na Suécia, em geral, têm medo de pessoas e fogem ao avistarem humanos. Mas, segundo relatos da imprensa sueca, os animais podem se tornar agressivos, especialmente os que se alimentam de maçãs caídas em jardins, que ficam fermentadas com o tempo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG