Polícia sérvia prende 180 manifestantes pró-Mladic

Manifestantes atacaram e feriram 32 policiais no domingo; defesa de ex-comandante deve apresentar recurso contra extradição hoje

iG São Paulo |

Autoridades sérvias prenderam 180 manifestantes que atacaram e feriram 32 policiais durante um protesto contra a prisão do ex-comandante servo-bósnio Ratko Mladic , anunciou nesta segunda-feira uma porta-voz do Ministério do Interior.

Reuters
Manifestantes são imobilizados pela polícia pró-Mladic que terminou em violência na Sérvia (29/05/2011)
Muitos dos manifestantes na noite de domingo em Belgrado eram jovens, alguns não eram sequer nascidos na época da Guerra da Bósnia, entre 1992 e 1995. Dezenas dos detidos usavam capacetes e equipamento de proteção e eram menores.

O Partido Radical Sérvio transportou os simpatizantes de ônibus através da Sérvia para manifestar apoio a Mladic. Muitos vieram direto dos jogos de futebol de domingo. Durante a violência, 32 policiais e 11 manifestantes ficaram feridos, e cinco carros e seis lojas também sofreram danos, disse a polícia.

Mladic, acusado de genocídio pelo cerco de 43 meses a Sarajevo e pelo massacre de até 8 mil muçulmanos em Srebrenica durante a guerra, foi preso na quinta-feira em um vilarejo a 100 quilômetros a noroeste de Belgrado após passar 16 anos foragido.

Um tribunal de Belgrado determinou na sexta-feira que Mladic tinha condições de saúde para enfrentar as acusações no tribunal de crimes de guerra da ONU em Haia e apresentou documentos para extradição.

Apelação judicial

A defesa de Mladic deve recorrer nesta segunda-feira, último dia do prazo previsto por lei, da decisão sobre sua entrega ao Tribunal Penal Internacional para a Ex-Iugoslávia (TPII). Milos Saljic, o advogado de Mladic, anunciou que enviará por correio o recurso.

Segundo a lei, com o recurso em mãos, o conselho judicial deverá decidir sobre a extradição em um prazo máximo de três dias. "Não se exclui que se decida no primeiro ou no segundo dia, dependendo de alguns fatos que eventualmente o tribunal estabelecer", disse o promotor adjunto sérvio de crimes de guerra, Bruno Vekaric.

A família de Mladic diz que Mladic está em mal estado da saúde, já que nos últimos anos sofreu dois derrames cerebrais e várias doenças crônicas, e anunciou que pedirá um exame médico independente sobre sua capacidade de acompanhar o processo que o espera em Haia.

*Com Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: sérviaRatko Mladicguerra dos bálcãssrebrenicabósnia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG