Polícia russa dissolve ato de protesto contra morte de jornalista

Moscou, 2 set (EFE).- A Polícia dissolveu hoje um ato de protesto em Nazran, a maior cidade da república russa da Inguchétia, devido à morte do jornalista opositor inguche Magomed Evloyev, que, segundo a versão das autoridades, foi atingido fortuitamente por uma bala na cabeça quando estava sendo detido.

EFE |

O protesto tinha começado na segunda-feira, imediatamente depois do funeral de Evloyev, fundador e proprietário do site opositor "ingushetiya.ru".

Os manifestantes, que durante toda a noite mantiveram ocupada uma das principais ruas de Nazran, foram retirados hoje por forças policiais, mas não houve feridos, disse um porta-voz do Ministério do Interior da Inguchétia à agência "Interfax".

No momento em que as forças antidistúrbios atuaram, havia cerca de 200 manifestantes, e uma das exigências deles é a renúncia do presidente inguche, Murat Zyazikov.

Evloyev foi detido no domingo passado no aeroporto de Margas, a capital inguche, aonde chegou procedente de Moscou no mesmo vôo que Zyazikov, com quem, segundo a imprensa russa, manteve uma discussão a bordo do avião.

Segundo o Ministério do Interior da Inguchétia, república vizinha da Chechênia, o jornalista foi detido "para conduzi-lo às dependências policiais, a fim de que prestasse declaração" devido a uma explosão ocorrida em Nazran.

Quando Evloyev estava no carro da Polícia, "a pistola de um dos agentes disparou de forma fortuita e a bala atingiu sua cabeça", disse um porta-voz do Ministério do Interior, pouco depois do evento.

"Atiraram nele diretamente na têmpora", denunciou, por outro lado, o líder opositor Magomed Khazbiev, organizador do ato de protesto dissolvido hoje pela Polícia.

O presidente da Inguchétia prometeu ontem uma investigação minuciosa da morte do jornalista. EFE bsi/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG