Polícia romena conduz 46 supostos militantes anti-Otan para delegacia

Bucareste, 2 abr (EFE).- A Polícia expulsou hoje de uma antiga fábrica de Bucareste 46 supostos militantes que protestavam contra a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e os levou a várias delegacias para identificá-los e realizar eventuais investigações.

EFE |

Segundo o chefe da Polícia da capital romena, Marian Tutilescu, os suspeitos, cidadãos romenos e estrangeiros (britânicos e alemães), alugaram uma sala abandonada na antiga fábrica de Timpuri Noi, em Bucareste, com o objetivo declarado de fazer uma festa, embora as autoridades tenham afirmado que eles estavam organizando um protesto.

Aparentemente alguns deles reagiram com violência quando um porteiro não permitiu a entrada de um caminhão com grandes recipientes de tinta, acrescentou a fonte.

O porteiro, que foi agredido, chamou a Polícia, que imediatamente enviou agentes de intervenção rápida de segurança, segundo imagens da emissora "Realitatea TV".

O porta-voz da Polícia, Christian Ciocan, declarou que não aconteceram detenções e que as pessoas estão sendo apenas identificadas.

A agência de notícias romena "NewsIn" informou, citando fontes do Ministério do Interior, que mais de 500 pessoas de grupos anarquistas e extremistas da Romênia e do exterior chegaram a Bucareste e pretendem protestar contra a Cúpula da Otan.

Segundo as autoridades romenas, os supostos manifestantes que chegaram a Bucareste nas últimas 48 horas em trens, ônibus e automóveis convocaram outras pessoas pela internet para se unirem ao protesto que está previsto para esta quinta-feira. EFE av/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG