A polícia do Equador desalojou milhares de indígenas e camponeses que cercaram na noite de terça-feira a sede do Congresso em Quito, para protestar contra um projeto oficial de lei sobre a administração da água que para os manifestantes significará a privatização do recurso.

A polícia do Equador desalojou milhares de indígenas e camponeses que cercaram na noite de terça-feira a sede do Congresso em Quito, para protestar contra um projeto oficial de lei sobre a administração da água que para os manifestantes significará a privatização do recurso.

Os confrontos, que deixaram alguns feridos, foram motivados pelo fato da Assembleia ter suspendido até quinta-feira as deliberações, no momento em que os manifestantes cercavam o Legislativo e impediam a saída dos deputados.

Depois da confusão, a polícia conseguiu isolar uma área, o que permitiu a saída dos deputados.

Os indígenas de comunidades andinas, muitos deles armados com pedaços de paus, se posicionaram nos arredores do Congresso na terça-feira no momento em que os parlamentares iniciaram o segundo e definitivo debate da iniciativa sobre Recursos Hídricos, Uso e Aproveitamento da Água.

sp/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.