Polícia reprime protesto de dissidentes políticos em Cuba

As Damas de Blanco, um grupo formado por esposas, mães e parentes de presos políticos cubanos, foram detidas temporariamente nesta quarta-feira pela polícia durante uma passeata, em Havana, e foram obrigadas a subir em dois ônibus que as afastaram do local da manifestação.

iG São Paulo |

A manifestação marcava o sétimo aniversário da prisão de 75 dissidentes, que se completa amanhã. A mobilização para marcar a data foi iniciada por dissidentes cubanos na segunda-feira.

AFP
Laura Pollán é presa por polícia durante protesto

Laura Pollán é presa por polícia durante protesto

Laura Pollán, porta-voz do grupo dissidente, declarou à Efe que o ônibus a levou para casa. Ela qualificou o ocorrido como um "sequestro", porque as mulheres foram "obrigadas" a entrar nos ônibus.

Os protestos ocorrem depois da morte, em 23 de fevereiro, de Orlando Zapata , um dos principais dissidentes políticos cubanos, após uma greve de fome de 85 dias para exigir a melhora das condições prisionais do país.

No dia 24, o dissidente Guillermo Fariñas  também começou uma greve em protesto à morte de Zapata e para reivindicar a libertação  de 26 presos políticos doentes.

*Com EFE e AFP

Leia mais sobre Cuba

    Leia tudo sobre: cuba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG