Polícia reprime manifestantes com balas de borracha em Pittsburgh

A polícia disparou balas de borracha nesta quinta-feira contra manifestantes que lançavam pedras e tijolos em Pittsburgh, sede da Cúpula do G20, constatou a AFP.

AFP |

Os policiais reagiram com disparos de balas de borracha contra um grupo de cerca de 20 manifestantes que havia quebrado as vidraças de um restaurante com pedras e tijolos.

Um dos manifestantes foi preso.

O ataque ao restaurante foi o episódio mais violento da série de protestos contra a "cobiça do capitalismo", que reuniu mais de mil manifestantes em Pittsburgh, por ocasião da Cúpula do G20.

A princípio, os jovens se reuniram pacificamente no parque do Arsenal, a cerca de dois quilômetros do centro de conferências do G20, que reúne os países industrializados e as economias emergentes.

Os incidentes tiveram início quando os manifestantes decidiram seguir do parque para a sede da Cúpula, o que provocou a reação da polícia de choque.

Diante do avanço dos jovens, a polícia advertiu, por alto-falante, que o parque deveria ser abandonado e que a manifestação era ilegal.

Os jovens insistiram e a polícia lançou bombas de gás lacrimogêneo e gás de pimenta, dispersando a maioria, mas um pequeno grupo passou a atirar pedras e tijolos.

"Nos levaram para uma rua lateral e atiraram gás lacrimogêneo. Umas três latas", disse à AFP um manifestante.

O protesto, organizado sem a autorização da prefeitura da cidade, foi liderado pelo grupo de inspiração anarquista "Pittsburgh G20 Resistance Project" (PGRP).

vtm/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG