Polícia reprime ato em memória de Montazeri

Várias pessoas ficaram feridas e pelo menos 50 foram detidas nesta quarta-feira quando a polícia iraniana tentou dispersar os participantes em uma cerimônia em memória do aiatolá dissidente Hosein Ali Montazeri em uma mesquita de Isfahan, região central do país, informa o site de oposição Rahesabz.

AFP |

"Esta manhã, antes do início da cerimônia, membros das forças de segurança à paisana cercaram a mesquita, o que gerou confrontos violentos com as pessoas que deveriam assistir a cerimônia", afirma o Rahesabz.net.

"Várias pessoas foram detidas e muitas ficaram feridas", acrescenta o portal, ligado à oposição reformista que questiona o poder do presidente Mahmud Ahmadinejad.

Centenas de policiais cercaram a mesquita de Seyed em Isfahan e impediram a entrada no edifício dos partidários de Montazeri.

Os manifestantes gritavam frases a favor do movimento Verde de oposição.

"As forças de segurança agrediram as pessoas, incluindo mulheres e crianças, com paus, correntes e pedras. Várias pessoas foram detidas e muitas ficaram feridas", afirma o site.

De acordo com outro portal da oposição, o Parlemannews.ir, mais de 50 pessoas foram detidas nos confrontos.

Entre os presos estão jornalistas, segundo o site, a página na internet da bancada reformista minoritária no Parlamento do Irã.

Os enfrentamentos prosseguiram durante a manhã. As forças oficiais dispersaram os opositores com bombas de gás lacrimogêneo.

A cerimônia aconteceria na mesquita Seyed de Isfahan, sob a coordenação de um religioso ligado à corrente reformista, o aiatolá Jalaledin Taheri.

O chefe de polícia iraniano, general Esmail Ahmadi, declarou que as forças oficiais vão agir com firmeza contra aqueles que chamou de "perturbadores", em uma referência às manifestações dos últimos dias.

"Aconselhamos este movimento (a oposição) a interromper suas ações, caso contrário a polícia atuará com firmeza contra os perturbadores da ordem", afirmou o general.

A nova ofensiva contra a oposição aconteceu um dia depois do principal líder do grupo, o ex-candidato à presidência Mir Hossein Mussavi, ter sido destituído da diretoria da Academia da Arte, que como arquiteto e pintor presidiu durante 10 anos.

O grande aiatolá Montazeri, que foi uma figura de destaque na revolução islâmica de 1979 antes de se tornar uma das principais vozes da ala reformista, faleceu no sábado na cidade de Qom, ao sul de Teerã.

Centenas de milhares de pessoas saíram às ruas na cidade sagrada de Qom na segunda-feira para o funeral, transformando o sepultamento em um protesto em massa contra o governo, que terminou em confrontos com a polícia.

bur-lma/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG