Polícia prende organizador de festas de Berlusconi na Itália

ROMA - A Polícia Fiscal italiana prendeu nesta sexta-feira o empresário Giampaolo Tarantini, investigado pela Procuradoria de Bari por suposta participação em um esquema de concessões oficiais em troca de subornos no setor da saúde e, ainda, por sua suposta indução à prostituição, informou seu advogado, Nico DAscola.

Redação com agências internacionais |

Tarantini é apontado como o amigo de Silvio Berlusconi que levaria prostitutas de luxo à casa do primeiro-ministro da Itália, como a jovem Patrizia D'Addario que afirma ter recebido mil euros para ir a uma festa e manter relações sexuais com o político.

Giampaolo Tarantini e seu irmão Claudio são donos da companhia "Tecnohospital", do setor da tecnologia hospitalar, investigada por receber concessões em troca de subornos.

Em depoimento, Tarantini admitiu ao semanário italiano "L'Espresso" que organizou 18 festas nas casas e vilas de Berlusconi nos últimos meses, nas quais estiveram 30 mulheres, muitas delas prostitutas.

Segundo D'Ascola, Tarantini, 34 anos, foi preso no aeroporto de Bari, capital da região Apúlia, sudeste italiano, por suposto envolvimento com o tráfico de drogas e pelo risco de fuga, segundo informou o fiscal de Bari, Antonio Laudati à imprensa local.

Cocaína e poder

Em seu depoimento, o empresário Gianpaolo Tarantini afirma que tentava se aproximar de Berlusconi por interesses financeiros. "Quis me aproximar de Berlusconi e investi muito dinheiro para isso. Sabendo do gosto dele pelas mulheres, acompanhei jovens que apresentavam como minhas amigas, sem mencionar que, às vezes, pagava a elas", explicou.

A princípio, Tarantini está sendo investigado por induzir a prostituição. Mas a imprensa italiana diz que a Justiça também investiga o possível consumo de cocaína nos encontros organizados pelo empresário em sua própria casa. "Em nossa sociedade, os ingredientes para o sucesso são prostituição e cocaína", disse Tarantini, citado pelo La Stampa.

O jornal "La Repubblica" cita ainda um amigo íntimo de Tarantini, Nicola D., conhecido simplesmente como "Nic", que é a pista dos investigadores para provar crimes relacionados com o consumo de cocaína nas festas do premiê.

O diário assegura que "Nic" era o fornecedor de cocaína para as festas de Berlusconi, e que também frequentava os encontros, embora ele tenha confirmado que foi somente uma vez a uma residência do primeiro-ministro.

A relação de Tarantini com Berlusconi veio à tona por causa da investigação sobre os negócios do empresário e de intercepções telefônicas nas quais se falava de supostos pagamentos às jovens convidadas às festas do primeiro-ministro.

Leia mais sobre Silvio Berlusconi

    Leia tudo sobre: silvio berlusconi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG