Polícia prende 48 membros da máfia calabresa na Itália por narcotráfico

Roma - A Polícia italiana prendeu hoje 48 supostos membros da Ndrangheta, a máfia calabresa, acusados de criar uma rede para a venda de drogas que chegavam à Itália procedente da Colômbia e do Marrocos, segundo fontes policiais.

EFE |

Entre os detidos, há membros do clã Cataldo, que eram responsáveis pelo tráfico e pela venda de drogas no país, enquanto a "família" Sergi-Marando se ocupava da entrada dos entorpecentes na Itália.

Também foram presos membros do clã Pelle-Vottari, conhecidos por sua famosa rivalidade com outra família mafiosa, os Nirta-Strangio, que resultou em massacres como o de Duisburg (Alemanha), ocorrido no ano passado, quando seis de seus membros morreram.

As prisões aconteceram nas regiões de Vêneto, Lombardia e Emilia Romagna (norte), assim como na Calábria (sul).

O promotor de Reggio Calabria (sul) explicou hoje que a investigação, iniciada em 2005, "confirmou que a Ndrangheta possui o controle do tráfico internacional de substâncias entorpecentes e que tem contatos diretos em várias partes do mundo".

    Leia tudo sobre: mafia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG