Polícia prende 26 em confrontos com judeus ultraortodoxos em Jerusalém

Judeus ultraortodoxos em Jerusalém entraram em confronto com a polícia israelense pelo terceiro dia consecutivo nesta quinta-feira por causa do que chamam de interferência do governo em sua comunidade. Pelo menos 26 pessoas foram presas depois que os ortodoxos incendiaram latas de lixo e jogaram pedras na polícia.

BBC Brasil |

AP

Judeus ortodoxos enfrentam a polícia em manifestação nas ruas de Israel

Os protestos começaram depois da prisão de uma ortodoxa de 30 anos acusada pelas autoridades de impedir que seu filho de 3 anos se alimentasse.

De acordo com o jornal israelense Haaretz, a criança, hospitalizada atualmente, pesa apenas sete quilos.

A publicação diz que a mãe foi filmada secretamente retirando várias vezes a sonda que alimentava o filho no hospital.

Os manifestantes ultraortodoxos alegam que a mulher sofre de distúrbios mentais e não deve ser presa e sim ser submetida a um tratamento.

Violência

Os protestos aconteceram nos bairros ultraortodoxos de Mea Shearim e Bar-Ilan. A polícia usou cavalos e canhões d'água para dispersar os manifestantes.

Entre os manifestantes estão estudantes religiosos em férias escolares.

AP

Manifestantes incendiaram carros em protestos violentos

Recentemente, a decisão da Justiça de ordenar o funcionamento de um estacionamento nas proximidades da Cidade Velha de Jerusalém durante os sábados (dia sagrado do judaísmo), para evitar congestionamentos, também gerou violentos protestos de ortodoxos e ultraortodoxos.

Na quarta-feira o prefeito da cidade proibiu funcionários da prefeitura de realizarem trabalhos em Mea Sharim e Geula (outro bairro conservador de Jerusalém) por questões de segurança.

A Companhia de Eletricidade Israelense disse que, se algum de seus empregados for ferido enquanto atua nestes bairros, vai suspender o fornecimento de eletricidade às regiões.

Os judeus ultraortodoxos são reconhecidos por suas vestimentas negras e muitos enxergam o moderno Estado israelense com desconfiança, por não acreditar que deveria existir um Estado judaico soberano antes da chegada do Messias.

Além disso, o fato de eles seguirem um rígido código de conduta relacionado à sua religião faz com que muitas vezes surja tensão entre membros dessa comunidade e os judeus não-ortodoxos.



Leia mais sobre protestos

    Leia tudo sobre: israelisraelensespolíciaprotestos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG