Polícia prende 22 pessoas e desmonta rede que produzia melamina

PEQUIM - A polícia da província chinesa de Hebei prendeu 22 pessoas ligadas a uma rede que produzia e vendia melamina para adulterar leite, informou nesta segunda-feira a agência oficial Xinhua.

EFE |

Dezenove dos detidos trabalhavam em áreas de pasto, fazendas e usinas de processamento de leite, destacaram as autoridades policiais.

A detenção foi resultado de uma investigação realizada em mais de 40 fazendas e usinas de processamento de leite em Shijiazhuang, cidade na qual fica a sede da Sanlu, principal marca envolvida no escândalo do leite adulterado que matou quatro crianças e deixou 53 mil intoxicadas .

Na operação foram confiscados mais de 220 quilos de melamina, que, segundo as investigações, era produzida clandestinamente e vendida para fazendas e centrais de coleta de leite.

Acrescentada ao leite a melamina dá maior consistência ao líquido, aumenta seus níveis de nitrogênio e falseia os de proteínas. Um dos suspeitos se referiu à melamina como "proteínas em pó".

O escândalo quase levou à ruína a marca Sanlu, uma das mais famosas no país no setor antes do problema, e provocou prejuízos em muitas outras empresas do setor do leite na China.

Leia mais sobre leite adulterado

    Leia tudo sobre: leite contaminado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG