Polícia nigeriana desloca 3.500 membros de suposta seita islâmica

Lagos, 16 ago (EFE).- A Polícia da Nigéria revistou nesta sábado uma base da suposta seita islâmica fundamentalista Darul Islam em Mokwa, no estado de Níger, ao norte do país, e deslocou 3.

EFE |

500 membros da organização, informou hoje o jornal nigeriano "Punch".

A operação busca evitar uma crise similar à registrada em seis estados do norte da Nigéria em julho, quando vários membros da seita Boko Haram entraram em choque com a Polícia e deixaram 800 mortos e mais de quatro mil deslocados.

As autoridades acreditam que vários integrantes da organização Darul Islam, cujos membros masculinos vestem roupas brancas enquanto as mulheres devem usar peças pretas, provêm das nações contíguas de Níger, Chade e Camarões, razão pela qual os serviços de imigração também estiveram envolvidos na operação.

"Recebemos uma série de relatórios sobre as atividades desta seita enviados pelos países vizinhos e Governos locais", informou o chefe da Polícia do estado nigeriano de Níger, Mike Zuokumor.

"A maioria das pessoas expressou apreensão e consternação pelas atividades que a seita realizava e nosso dever é nos assegurar de que as leis são cumpridas", afirmou o porta-voz das forças de segurança, que estão interrogando os membros em um recinto universitário da localidade de Mokwa.

Segundo analistas da Nigéria, há várias seitas fundamentalistas islâmicas no norte do país, e a extrema violência dos membros da Boko Haram fez com que o Governo tomasse medidas drásticas contra eles. EFE da/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG