Guatemala, 20 ago (EFE).- As autoridades migratórias da Guatemala, com o apoio da Polícia Nacional Civil, detiveram hoje na cidade de Mazatenango, ao sudoeste do país, 54 artistas estrangeiros do Circo de Moscou por trabalharem de forma ilegal no país.

O porta-voz da Direção Geral de Migração (DGM) da Guatemala, Raúl Arandi, disse a jornalistas que os detidos, entre eles várias crianças, filhas dos artistas, "não tinham permissão para trabalhar no país".

"Alguns tinham vistos de turismo, mas para trabalhar na Guatemala (segundo a legislação interna) deviam contar com um de trabalho. Por isso, foram detidos", explicou Arandi.

Os artistas, entre os quais há vários cidadãos russos, chilenos, mexicanos, taiuaneses, tailandeses e centro-americanos, foram levados a um albergue temporário da DGM, enquanto concluem os trâmites para serem deportados a seus respectivos países.

Eles chegaram ao país no começo de junho, quando o Circo de Moscou, antes propriedade de uma empresa russa e agora de uma mexicana, iniciou a temporada de apresentações na capital guatemalteca.

A detenção dos artistas, segundo Arandi, responde às pressões exercidas por um grupo de circenses guatemaltecos que exigiram às autoridades que cumpram uma lei que proíbe empresas estrangeiras de apresentar seus espetáculos nas províncias do país para não prejudicar seus pares locais. EFE ca/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.