Polícia mexicana detém neste ano 27.200 criminosos em guerra contra o tráfico

Entre os detidos estão 'importantes líderes' das organizações criminosos mais perigosas do país, diz governo

iG São Paulo |

A polícia do México deteve ao longo deste ano 27,2 mil criminosos durante o combate ao narcotráfico, realizado há quatro anos pelo governo do presidente Felipe Calderón, informou nesta quinta-feira o Gabinete de Segurança do país, integrado por quatro ministérios e pela procuradoria-geral.

Destacam-se as detenções de "importantes líderes" das organizações criminosas mais perigosas como Edgar Valdez-Villarreal ("La Barbie"), Teodoro García Simental ("El Teo") e Sergio Enrique Villareal ("El Grande"), assinalaram em comunicado os ministérios de Governo, Defesa, Marinha e Segurança Pública e a procuradoria-geral.

Dentre os 27,2 mil presos, foram detidos 1.179 sequestradores e foram libertados 1.184 reféns, ressaltou o Gabinete de Segurança. O México está envolvido em uma onda de violência que, nos quatro anos do governo Calderón, causou 30.196 mortes, das quais 12.456 ocorreram entre janeiro e 30 de novembro de 2010.

"Foram 30.196 desde o início do governo" de Felipe Calderón, em dezembro de 2006; 12.456 assassinatos foram registrados este ano", disse o procurador de justiça Arturo Chávez em 16 de dezembro.

As mortes são atribuídas a disputas entre os cartéis das drogas pelo controle das rotas para os Estados Unidos e às operações realizadas pelo Exército mexicano e a polícia federal, como parte de uma estratégia militar lançada por Calderón quando chegou ao poder.

"Essa cifra é lamentável, mas também significa um êxito maior no ataque a organizações criminosas, que estão mais desesperadas", acrescentou o procurador.

*Com AFP e EFE

    Leia tudo sobre: méxiconarcotráficocartéis de drogasprisões

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG