Nuakchott, 5 out (EFE) - A Polícia mauritana dispersou hoje uma manifestação convocada, em Nuakchott, pela Frente Nacional para a Defesa da Democracia (FNDD), contrária ao golpe de Estado que depôs o presidente Sidi Mohammed Ould Cheikh Abdallahi, conforme pôde constatar a Agência Efe. As forças policiais utilizaram bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes para dispersar o ato, que não foi autorizado pelo Ministério do Interior mauritano. O protesto ocorreu às vésperas de expirar o ultimato dado pelo Conselho de Paz e Segurança da União Africana (UE) aos militares para retornar novamente a ordem constitucional, restabelecendo Abdallahi no cargo. Este ultimato foi rejeitado pelo Presidente do Alto Conselho de Estado, o general Mohammed Ould Abdel Aziz. As autoridades mauritanas tinham anunciado a proibição de qualquer manifestação popular, em favor ou contra o golpe de Estado, medida rejeitada pelos dirigentes da FNDD que consideram que a Constituição garante o direito a protestar. Uma delegação da FNDD foi recebida no sábado pelo ministro de Exteriores marroquino, Taieb Fassi Fihri. A delegação mauritana expôs, nesta reunião, sua avaliação da situação política em seu país e suas perspectivas para o futuro. Enquanto o Marrocos guarda uma postura de reserva perante o golpe de Estado, a Argélia, junto com outros países africanos, pedem a volta ao poder do presidente deposto. EFE.

mo/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.