NOVA YORK (Reuters) - A polícia dos Estados Unidos matou a tiros um chimpanzé de 90 quilos, conhecido por participar de comerciais de TV, depois de ele quase matar uma amiga de sua dona e atacar um carro de radiopatrulha. A vítima, Charla Nash, de 55 anos, encontra-se em condições muito críticas após o ataque de segunda-feira, disse o capitão Richard Conklin, porta-voz da polícia em Stamford, Connecticut, subúrbio da cidade de Nova York. Ela corre risco de morte, afirmou ele na terça-feira.

A dona do animal, Sandra Herold, de 70 anos, tentou conter seu animal de estimação, Travis, esfaqueando-o com uma faca e atingindo-o com uma pá, mas o macaco escapou do ataque e então se voltou contra um carro da polícia que havia sido chamado ao local, disse Conklin.

O chimpanzé arrancou o espelho lateral do carro da polícia, golpeou o veículo e abriu a porta do lado do motorista, levando o policial a atirar diversas vezes contra o macaco, afirmou Conklin.

O animal fugiu e a polícia encontrou um rastro de sangue levando ao local em que o macaco morava dentro da casa, onde morreu.

O chimpanzé, de quase 15 anos de idade, tomava remédios para a doença de Lyme, que em humanos pode afetar o sistema nervoso e provocar confusão mental nos estágios mais adiantados.

Travis estrelou comerciais para a televisão para a Coca-Cola e para a marca de roupas Old Navy, informou Conklin.

Citando vizinhos, a mídia local disse que o chimpanzé em geral se comportava bem e participava de atividades humanas como navegar na Internet e assistir a jogos de beisebol na TV. Ele se sentava à mesa, comia carnes caras e bebia vinho, escovando os dentes após as refeições.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.