Polícia italiana expropria imóveis pertencentes à máfia

Roma, 29 set (EFE) - A polícia italiana expropriou hoje dezenas de imóveis, por um valor de aproximadamente dez milhões de euros, pertencentes a membros do clã dos Casalesi, o mais forte da Camorra, a máfia de Nápoles, no sul do país.

EFE |

As autoridades realizaram dezenas de revistas na região entre Casal di Principe e San Cipriano d'Aversa, localidades de Campânia (sul) em busca de membros do clã dos Casalesi.

Durante a operação, na qual ninguém foi preso, foram tomados lugares supostamente pertencentes ao crime organizado, entre eles um bar, inaugurado há só cinco dias em Casal di Principe, terrenos edificáveis, e cerca de 20 apartamentos.

Segundo a Direção Antimáfia de Nápoles, a maioria dos bens apreendidos pertencia a Giuseppe Setola, de 41 anos, considerado um dos criminosos mais perigosos procurados pela Justiça, e seu irmão Pasquale, atualmente detido.

Giuseppe Setola é acusado do assassinato de três pessoas em 2006 em um ajuste de contas por decisão do clã dos Casalesi.

Este clã da Camorra é responsável, segundo os investigadores, pelo assassinato, em 18 de setembro, do proprietário de uma sala de videogames e de seis imigrantes africanos em Castel Volturno.

Estes dois episódios levaram o Governo italiano a reforçar a segurança na região com o envio de 400 policiais e o desdobramento de 500 militares. EFE ccg/rb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG