Polícia italiana confisca bens de chefe da Camorra que está foragido

Roma, 14 jan (EFE).- A Polícia italiana confiscou hoje bens no valor de 10 milhões de euros de familiares e supostos testas-de-ferro de um dos chefes da Máfia Napolitana (Camorra) Giuseppe Setola, que protagonizou há poucos dias uma fuga cinematográfica ao fugir pelos esgotos.

EFE |

Durante a operação, da qual participaram 100 agentes, foram confiscados 4 chalés, três apartamentos, um bar, e alguns locais comerciais e terrenos agrícolas na província de Caserta (sul) e na região do Lácio (centro).

Segundo os investigadores, os bens foram comprados com lucros procedentes de atividades ilegais como a extorsão ou o tráfico de drogas.

Dois dos apartamentos confiscados estavam alugados por soldados americanos que estão destacados nas bases que o Exército dos Estados Unidos tem na região da Campânia.

Setola, considerado um dos 30 fugitivos mais perigosos da Itália, conseguiu escapar no dia 12 de janeiro da casa na qual estava por um duto construído debaixo de sua cama e que levava para os esgotos.

O mafioso, considerado o chefe do clã dos Casalesi - um dos mais poderosos e sanguinários da Camorra -, fugiu junto com os dois guarda-costas com os quais vivia na localidade de Trentola Ducenta, em Caserta (sul).

O suposto chefe dos Casalesi, de 38 anos, é fugitivo desde o ano passado sob a acusação de associação mafiosa e homicídio.

A Setola é atribuída a ordem de assassinar em setembro do ano passado em Castel Volturno (Caserta) um italiano e seis imigrantes africanos. EFE ccg/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG