Roma, 3 fev (EFE).- A Polícia italiana apreendeu 130 milhões de euros em bens de um clã mafioso que administrava diversas empresas, entre elas duas clínicas e um balneário frequentado por esportistas profissionais.

Segundo as autoridades, o dinheiro para estes investimentos, feitos através de uma holding, vinha do tráfico de drogas. O chefe da organização, Renato Cervo, já foi julgado em 2006 pelo mesmo crime e por formação de quadrilha, informou hoje a imprensa local.

Entre os bens apreendidos ontem estão 25 automóveis de luxo e um posto de gasolina, além de quatro imóveis no Cinecittà, complexo de teatros e estúdios situados na periferia de Roma.

Cinco pessoas foram acusadas, enquanto duas delas foram condenadas e detidas por tráfico de drogas e formação de quadrilha.

Já outro está foragido da Justiça por uma condenação de 14 anos por tráfico de drogas. EFE if/dp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.