Polícia israelense interroga chanceler novamente

JERUSALÉM (Reuters) - A polícia israelense interrogou na sexta-feira o novo ministro das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, pelo segundo dia consecutivo sobre uma suspeita de suborno e de lavagem de dinheiro, disse um porta-voz da polícia. Lieberman, um ultranacionalista que se tornou o mais importante diplomata de Israel na terça-feira, negou qualquer irregularidade e chamou de campanha suja a investigação policial sobre o caso.

Reuters |

Sua retórica antiárabes tem deixado em alerta tanto os líderes palestinos quando os líderes árabes da região.

"Lieberman foi interrogado por cinco horas por precaução hoje. Ele será interrogado de novo no futuro", disse Micky Rosenfeld, porta-voz da polícia. Lieberman participou de um interrogatório que durou sete horas na quinta-feira.

O interrogatório foi parte de uma investigação que dura vários anos, mas a polícia não disponibilizou os detalhes.

Segundo a mídia israelense, Lieberman seria suspeito de receber propina por meio de uma empresa de consultoria dirigida por sua filha, Michal.

Ele tem sido interrogado pelas acusações anteriormente, não como chanceler de Israel, mas não há indicações de que sua carreira ministerial poderia ser interrompida.

Nascido na União Soviética, Lieberman dirigiu a campanha eleitoral das eleições israelenses de 10 de fevereiro com um lema "sem lealdade, sem cidadania", visto como um incentivo à deportação de cidadãos árabe-israelenses acusados de envolvimento ou de proteção das ações dos militantes da Faixa de Gaza e da Cisjordânia ocupada.

(Reportagem de Joseph Nasr)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG