Polícia isola Maiorca por causa de atentado que matou dois guardas civis

Dois guardas civis morreram nesta quinta-feira na explosão de um veículo diante de um quartel em Calvia, sul da ilha de Maiorca, no arquipélago mediterrâneo das Baleares e a polícia espanhola proibiu a saída das pessoas da ilha para evitar a fuga dos terroristas envolvidos no atentado, informou a Guarda Civil regional.

AFP |

O aeroporto local também foi completamente fechado.

Uma testemunha relatou à Rádio Nacional da Espanha (RNE) que viu um veículo 4x4 voando pelos ares e uma coluna de fumaça diante do quartel da Guarda Civil. "A zona está toda isolada", acrescentou.

Segundo as primeiras informações, apenas uma pessoa teria morrido na explosão em Palma Nova, sul de Calvia, e haveria vários feridos.

A Comissão Europeia condenou energicmaente o que caracterizou de bárbaro atentado.

Na véspera, a explosão de um furgão-bomba junto a um conjunto habitacional da Guarda Civil em Burgos (norte da Espanha) deixou 64 feridos leves, entre eles seis crianças, em mais um atentado atribuído à organização separatista armada basca ETA.

O ETA comemora seus 50 anos de fundação nesta sexta-feira.

str/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG