Polícia iraquiana detém 14 por atentados em Bagdá

Bagdá, 30 ago (EFE).- A Polícia iraquiana deteve 14 pessoas acusadas de envolvimento nos atentados do dia 19 em Bagdá, nos quais 87 pessoas morreram e mais de mil ficaram feridas, informou o canal de televisão Al Iraqiya.

EFE |

Segundo a rede, que cita um comunicado do Ministério do Interior, forças desse departamento, que abriu investigações sobre os ataques, detectaram primeiro o proprietário do caminhão-bomba que explodiu diante do Ministério de Assuntos Exteriores no centro de Bagdá, graças à placa do veículo.

As informações conseguidas sobre este levaram à identificação do suicida que dirigia o caminhão-bomba, já que um de seus parentes está entre os detidos.

A nota acrescenta que um dos detidos afirmou que o autor do atentado perto do Ministério de Assuntos Exteriores tinha sido preso pelas tropas americanas e libertado há três meses da prisão de Buka, na província de Basra, no sul do Iraque.

Este suicida também pertencia ao grupo insurgente Estado Islâmico do Iraque, vinculado à Al Qaeda, segundo as confissões de um dos detidos.

Os 14 detidos estavam preparados para realizar outros atentados, acrescentou o texto.

A série de atentados ocorrida em 19 de agosto, a mais sangrenta neste ano, matou 87 pessoas e deixou mais de mil feridos. As explosões afetaram vários ministérios, como o de Exteriores e o das Finanças.

O Governo iraquiano solicitou recentemente à Síria a extradição de Mohammed Yunis al-Ahmed e de Sattam Farhan, membros do partido de Saddam Hussein, o Baath, pela possível implicação nos atentados de Bagdá, cuja autoria, no entanto, foi assumida pela Al Qaeda. Efe am/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG