Polícia iraniana usa água e gás lacrimogêneo para dispersar protesto

Teerã, 20 jun (EFE).- A Polícia iraniana usou a força para reprimir uma passeata convocada no centro de Teerã para protestar contra o resultado das eleições presidenciais de 12 de junho.

EFE |

Testemunhas afirmam que agentes antidistúrbios empregaram jatos d'água e bombas de gás lacrimogêneo para dispersar as milhares de pessoas que tentavam se concentrar na rua Enguelab, apesar dos advertências do líder supremo da Revolução, o aiatolá Ali Khamenei.

A máxima autoridade do Irã exigiu na sexta-feira aos líderes da oposição que colocassem fim, de forma imediata, às concentrações ou seriam os responsáveis diretos de um "banho de sangue".

Os principais representantes reformistas pediram nesta manhã a seus seguidores que se reunissem no centro de Teerã, ocupado por centenas de policiais antidistúrbios e milicianos islâmicos Basij, afins ao regime, que iam armados e com capacetes similares aos dos agentes.

Mesmo assim, milhares de iranianos desafiaram a advertência e tentaram chegar à região para prosseguir com os protestos que começaram há uma semana.

"Houve muitas pessoas detidas. Muitas ficaram sem os telefones celulares que usavam para gravar", explicou outra das testemunhas.

Junto com este fato ocorreu a morte de um terrorista suicida, que detonou um explosivo perto do mausoléu do imame Khomeini, no sul de Teerã, ferindo oito pessoas. EFE jm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG