Polícia investiga se empresário matou família e se suicidou

A polícia britânica, que está investigando o incêndio da mansão do milionário britânico Christopher Foster, onde foram encontrados três corpos carbonizados, indicou nesta terça-feira que acredita que ele matou sua esposa e a filha e se suicidou.

AFP |

"Acreditamos que Christopher Foster matou sua esposa, Jill, e sua filha, ateou fogo na casa e se matou, na madrugada de terça-feira da semana passada", disse Jon Groves, da polícia de West Mercia, oeste da Inglaterra. "Este é um caso muito complexo e incomum", acrescentou.

Desde que as chamas devoraram semana passada a Mansão Osbaston, situada na localidade de Maesbrook, a imprensa britânica não pára de especular sobre o caso, publicando rumores de que o empresário tinha grandes dívidas.

Entre as ruínas da mansão, a polícia encontrou três corpos, um dos quais foi identificado como sendo o da esposa do proprietário. A necropsia da mulher revelou que ela morreu com um disparo na cabeça, o que intensificou o ministério.

Ao lado dela foi encontro o corpo de um homem, e o terceiro corpo, provavelmente o da filha do casal, de 15 anos, foi achado ontem (segunda-feira). "Ainda não foi determinada a causa da morte de Foster e do corpo que, acreditamos, seja o de Kirstie (a filha do casal)", indicou a polícia.

A família foi vista pela última vez na segunda-feira da semana passada num churrasco na casa de amigos.

Leia mais sobre morte na Inglaterra

    Leia tudo sobre: morte na inglaterra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG