Polícia investiga incêndio que matou 60 em discoteca tailandesa

Bangcoc, 2 jan (EFE).- As autoridades da Tailândia investigam hoje o status legal e as medidas de segurança da discoteca de Bangcoc onde morreram 60 pessoas em um incêndio durante uma festa de réveillon.

EFE |

O subdiretor-geral da Polícia, general Jongrak Juthanon, disse à imprensa que as investigação estão focadas em saber se o incêndio foi causado por fogos de artifícios lançados pelos responsáveis do local para celebrar o ano novo ou se foi algo criminoso.

O incêndio, no qual ficaram feridas cerca de outras 240 pessoas, ocorreu pouco após a meia-noite, e consumiu totalmente a discoteca Santika.

Os sobreviventes relataram que as chamas surgiram após escutar o barulho de um espetáculo pirotécnico.

Até o momento, a Polícia não conseguiu localizar o dono do recinto, contra quem está sendo preparada uma acusação formal por permitir a entrada na casa de uma menor de idade que se encontra entre as vítimas do incêndio.

Um dia depois da tragédia, dezenas de familiares das vítimas e amigos se reuniram perante os escombros da discoteca para praticar os rituais budistas que, como diz a tradição, guiam os espíritos dos mortos para uma nova vida. EFE tai/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG