Polícia interrompe marcha gay em Moscou

MOSCOU - A polícia russa interrompeu uma passeata gay em Moscou neste sábado, marcada para coincidir com a final do festival de música Eurovision Song Contest a ser realizada na cidade. Dezenas de ativistas haviam se reunido perto de uma universidade desafiando a proibição, e alguns deles foram arrastados pela polícia quando tentaram gritar palavras de ordem.

BBC Brasil |

O ativista pelos direitos gays britânico Peter Tatchell estava entre os detidos. Mais cedo, a polícia permitiu a passagem de uma manifestação contrária, liderada por grupos religiosos e nacionalistas.

Os grupos de defesa dos direitos gays estavam levantando bandeiras e cantando palavras de ordem, exigindo direitos iguais e criticando o tratamento dispensado aos homossexuais na Rússia.

Ao ser levado pela polícia, o ativista Tatchell gritou: "Isso mostra que as pessoas russas não são livres!".

'Satânico'

Há informações de que a polícia também teria prendido um líder russo da luta pelos direitos gays, Nikolai Alexeyev.

O festival Eurovision Song Contest conta, tradicionalmente, com uma grande audiência gay e os ativistas viram a final em Moscou como uma oportunidade para mostrar que são tratados com forte preconceito, disse o correspondente da BBC na cidade, Richard Galpin.

Homossexuais sofrem ataques constantes no país, e ainda há o risco de ser demitido do emprego e desprezado por suas famílias.

O prefeito de Moscou, Yuri Luzkhov, descreveu passeatas gays como coisas "satânicas". Grupos de ativistas contra os direitos gays haviam ameaçado tomar as rédeas, caso a polícia não conseguisse interromper a marcha deste sábado.

Leia mais sobre: movimento gay

    Leia tudo sobre: gaygaysparada gay

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG