Nova Déli, 14 jan (EFE).- A Polícia indiana prendeu hoje Mohamad Ahsan Dar, um dos fundadores do grupo separatista armado Hizbul Mujahedin, na Caxemira.

Ahsan, colaborador próximo do chefe da organização, Syed Sallahuddin, coordenava as ações terroristas de diversas facções islamitas que atuam na Caxemira, segundo o subinspetor geral de Polícia da região, Abdul Gani Mir, citado pela agência "PTI".

Estas ações incluem explosões em locais de grande concentração de população civil, como mercados e restaurantes.

O policial não tentou resistir à prisão ao ser detido, segundo Gani, que explicou que os agentes o capturaram ao receber informação de que ele estava voltando da Caxemira paquistanesa para coordenar ações armadas no lado indiano.

Após fundar o Hizbul Mujahedin, Ahsan criou sua própria organização, embora tenha seguido colaborando com a cúpula do grupo anterior e entrou em contato com facções da Caxemira como a Lashkar-e-Toiba, que a Índia acusa pelos ataques terroristas de Mumbai.

O policial indiano ainda acusou os serviços secretos paquistaneses de terem financiado e apoiado Ahsan, após ajudá-lo a fugir da prisão, em uma detenção anterior.

Ele se alinha, assim, com o próprio Governo da Índia, que acusa integrantes da inteligência paquistanesa de terem treinado os terroristas que mataram 179 pessoas em Mumbai, em novembro - acusação que o Paquistão refuta, argüindo falta de provas.

Segundo estimativas oficiais, cerca de 800 terroristas atuam do lado indiano da Caxemira, onde atuam cerca de dez facções separatistas que querem se unir ao Paquistão, desde 1989.

Os dois países disputam esta histórica região de maioria muçulmana desde suas independências e partilha, em 1947. EFE amp/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.